Scroll To Top

Filmes do Homem

Orientadores

Fora de Campo

José da Silva Ribeiro

José da Silva Ribeiro . Coordenador

Doutor em Ciências Sociais - Antropologia. Estudos Superiores em Cinema e Vídeo na Escola Superior Artística do Porto. Professor de Antropologia, Antropologia Visual, Media e mediações culturais na Universidade Aberta. Investigador do Centro de Estudos das Migrações e das Relações Interculturais da Universidade Aberta onde é Responsável pelo Grupo de Investigação Media e Mediações Culturais. Realizou trabalho de campo em Cabo Verde e nas periferias urbanas de Lisboa e Porto, no Brasil, em Cuba e na Argentina. Coorganizador da Conferência Internacional de Cinema de Viana do Castelo, do Seminário Internacional Imagens da Cultura / Cultura das Imagens. Coordenador da rede Imagens da Cultura / Cultura das Imagens. Colaborador do DIVERSITAS – USP. Professor visitante em Universidades Europeias e da América Latina.

Alice Fátima Martins

Alice Fátima Martins

Professora na Faculdade de Artes Visuais da Universidade Federal de Goiás, no curso de Licenciatura em Artes Visuais e no Programa de Pós-Graduação em Arte e Cultura Visual. Bolsista de produtividade do CNPq. Pesquisadora do Programa Avançado de Cultura Contemporânea PACC/UFRJ (2009-2010). Doutora em Sociologia (UnB, 2004); Mestre em Educação (UnB, 1997). Autora dos livros Saudades do futuro: a ficção científica no cinema e o imaginário social sobre o devir (Editora da UnB, 2013), e Catadores de sucata da indústria cultural (Editora da UFG, 2013). Desenvolveu o projeto de pesquisa Outros fazedores de cinema, com financiamento da FAPEG e do CNPq, em que investiga os processos de realização, distribuição e relação com o público de trabalhos de cinema feitos com baixos custos.

álvaro domingues

Álvaro Domingues

Álvaro António Gomes Domingues (Melgaço, 1959) é geógrafo, doutorado em geografia Humana e professor associado da Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto. Actividade Docente: Professor do Mestrado Integrado em Arquitectura e do Curso de Doutoramento da FAUP; Membro do Conselho Científico da FAUP; Professor do Mestrado “Projecto do Ambiente Urbano” (FAUP/FEUP); Professor do Curso de Doutoramento da Fac. de Arquitectura da Universidade de Coimbra; Professor dos Cursos de Verão da Fundação de Serralves; Professor convidado da Universidade Federal do Rio de Janeiro; Professor Convidado da Universidade de Granada. Colabora regularmente com outras universidades, fundações, jornal Público, associações profissionais e culturais, e desenvolve uma actividade regular como conferencista. Áreas de Investigação: Geografia Urbana, Urbanismo, Paisagem, Territórios, Políticas Culturais. Dos seus livros recentes destacam-se: Vida no Campo (ed. Dafne, Porto, 2012), A Rua da Estrada (ed. Dafne, Porto, 2010) e Políticas Urbanas II, (Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa, 2012 com Nuno Portas e João Cabral)

Denise Machado Cardoso

Denise Machado Cardoso

Denise Machado Cardoso é antropóloga e historiadora, vive e trabalha em Belém do Pará, norte da Amazônia. É doutora (2006) em Desenvolvimento Socioambiental e mestra (2000) em Antropologia Social pela Universidade Federal do Pará. É membro do Comitê de ética em pesquisa nesta universidade e coordena o Laboratório de Antropologia Arthur Napoleão Figueiredo (LAANF) onde desenvolve estudos sobre relações sociais de gênero, etnomuseologia, saúde indígena, educação e cibercultura. Coordena o Grupo de Estudos sobre Antropologia Visual e da Imagem (VISAGEM) e o Grupo de Estudos sobre Populações Indígenas (GEPI).

Graça Lobo

Graça Lobo

Graça Lobo é Mestre em Gestão Cultural com Tese em Formação de Públicos para o Cinema. Foi Coordenadora do Grupo de Projeto do Plano Nacional de Cinema, nos anos de 2012/13 e 2013/14. É coautora e Coordenadora do Programa Juventude/Cinema/Escola da Direção Regional de Educação do Algarve desde 1997/98. É coautora do Programa da Disciplina de Opção de Cinema do 3º ciclo do Ensino Básico. Foi Professora do ensino Secundário e do ensino Básico entre 1975 e 1997 e professora supervisora na Formação de Professores da Escola Superior de Educação do Algarve de 1993 a 1996. Foi Professora convidada pela Universidade do Algarve para lecionar disciplinas de Cinema entre 1994 e 2001. É Formadora acreditada pelo Conselho de Formação Contínua de Professores, tendo realizado dezenas de ações de Formação em Literacia Fílmica, desde 1999. Foi vice-presidente do Cineclube de Faro de 1996 a 2008. Coordenou várias publicações na área do cinema. Tem feito Comunicações em Congressos Nacionais e Internacionais.

Isa Catarina Mateus

Isa Catarina Mateus

Fez a parte curricular do Mestrado em História de Arte Contemporânea pela Universidade Nova de Lisboa (2000) e a Licenciatura em Estudos Portugueses- ramo de especialização científica pela Universidade do Algarve (1998). Tem o Curso de Educação Musical e piano, pelo Conservatório Regional do Algarve (1992). Fez rádio. Foi membro fundador do RADIX, do Ministério da Cultura. Foi coordenadora editorial da Revista Sul. Professora de Educação Musical, Educação Cívica e de História e Geografia de Portugal no ensino básico. Docente de Movimentos Artísticos Contemporâneos no ensino superior. Formadora de Comunicação Visual e de Fotografia e Vídeo e autora dos materiais pedagógicos para a unidade curricular de psicanálise da Universidade do Algarve. Formadora de História da Arte e de Tecnologias Educativas, Meios Audiovisuais em Ações da Formação Contínua de Professores. Integrou a equipa de Formação Artística, na área da Literatura e da Escrita no Projeto Da minha janela vejo um monumento da Direção Regional da Cultura do Algarve. Foi Coordenadora da Formação do Plano Nacional de Cinema, Formadora das Ações de Formação de Iniciação, de Continuidade e de Acompanhamento de professores e Autora dos materiais pedagógicos do PNC (2012-2014). Tem feito comunicações em congressos na área da História de arte e na área das literacias. Tem ainda publicado poesia e conto. Desenvolve oficinas de leitura, escrita e voz para alunos dos vários níveis de ensino. É colaboradora e autora dos materiais pedagógicos do Programa Juventude/Cinema/Escola e autora do Projeto VER para LER da Direção Regional de Educação do Algarve desde 2004. É Coordenadora da Comissão de Formação do Cineclube de Faro.

joão-lafuente

João Lafuente

João José do Coito Lafuente, licenciado em Matemática Aplicada pela Universidade do Porto, exerceu a função de técnico de informática na Caixa Geral de Depósitos. Dedica-se à fotografia desde a adolescência tendo trabalhos seus publicados em livros e revistas. Participou em exposições coletivas e realizou exposições individuais e em co- autoria com Manuela Matos Monteiro. De entre as várias exposições produzidas pode-se destacar “Carnaval em Veneza”, “As Vindimas”, “A luz do Cristalino”, “ Istambul – Roteiro da melancolia”, “Tropicana/Matanzas”, “A Sul de Dakar”,“ Istambul e Lisboa – Roteiros da melancolia”, De entre outras intervenções destaca-se o trabalho também em co-autoria, sobre o Douro: fotografia oficial dos 250 anos da região demarcada, exposição sobre a região na Assembleia da República (“O Douro no Tejo com Siza Vieira, José Rodrigues e Gracinda Candeias), no Parlamento Europeu/Bruxelas, em Paris, Bordéus, em Maputo e na Beira (Moçambique), em várias zonas do Douro e no Porto. Dirige, desde outubro de 2013, com Manuela Matos Monteiro, as galerias Espaço MIRA e MIRA FORUM, em Campanhã, no Porto.

joão-martins

João Martins

João Martins (1977) é um músico e sonoplasta. Desde 1996, uma figura ativa da música experimental e improvisada, com uma vasta lista de colaborações nacionais e internacionais. Colabora com a companhia de teatro Visões Úteis (Porto), desde 1998, onde, além do trabalho de composição de bandas sonoras e sonoplastia para espetáculos de teatro, desenvolveu outros formatos de performance na paisagem. Colabora igualmente com serviços educativos de instituições culturais de referência. Desenvolveu, em trabalho com comunidades, audiowalks e instalações áudio onde explora as relações entre o território, a memória coletiva e biografias individuais. Estudou no Conservatório de Música de Aveiro, na Faculdade de Arquitetura da Universidade do Porto e na Universidade Aberta, onde concluiu a licenciatura em Estudos Artísticos. Desempenha funções de docência na Escola Superior de Música e Artes do Espetáculo (ESMAE-IPP) e na Academia Contemporânea do Espetáculo (ACE).

manuela-monteiro

Manuela Matos Monteiro

Manuela Matos Monteiro tem formação em Filosofia e Psicologia sendo co-autora de livros de Psicossociologia, Psicologia e autora de livros de Pedagogia, Metodologia de Projeto entre outros (Porto Editora). Dirigiu durante anos a revista 2:PONTOS e foi coordenadora do site NetProf. Dedica-se à fotografia há vários anos, participando com os seus trabalhos em exposições colectivas e individuais. O seu trabalho tem sido reconhecido através de prémios obtidos em diversos concursos de fotografia, de que se destaca o 1º prémio no concurso internacional “La femme et la vigne”. Tem trabalhos publicados em livros e revistas. De entre as diferentes intervenções pode-se destacar o trabalho em coautoria com João Lafuente, sobre o Douro. Desde 2011 desenvolve experiências com um smartphone explorando as potencialidades do dispositivo que capta e edita fotografias. Teve trabalhos selecionados e expostos em Los Angeles, Kansas City, Miami, Tokyo, Berlim, Florença, Verona entre outras. Realizou duas exposições individuais: no Ecomuseu de Montalegre (2012) e a exposição “Contemplação” na Casa Museu Abel Salazar (dezembro 2014). Uma das suas “Self(ie) evidence” obteve o 1º prémio na categoria de autorretrato no concurso MPA de 2014, o mais prestigiado prémio em fotografia mobile. Dirige, com João Lafuente, as galerias Espaço MIRA e MIRA FORUM em Campanhã, Porto.

Paula Godinho

Paula Godinho

Paula Godinho é antropóloga, professora no Departamento de Antropologia da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, onde lecciona disciplinas ligadas à antropologia sobre Portugal e a Europa, à antropologia política, aos usos da cultura e aos movimentos sociais e fronteiras. É mestre em Cultura e Literatura Portuguesa do séc. XX (1991), doutora em Antropologia (1998), área em que fez também a sua agregação na FCSH/UNL (2006). Realizou trabalho de campo no norte de Portugal, na fronteira galega e no Ribatejo ao longo de vários anos, repartindo os seus interesses de investigação por temas como a resistência e os movimentos sociais, a mudança social rural e a mercantilização da cultura popular, as comemorações e os rituais, a construção de identidades nacionais e as culturas de orla. É orientadora de várias teses de mestrado e doutoramento (três das quais em parceria com antropólogos da École des Hautes études em Sciences Sociales, em Paris, da Universidad Pablo Olavide, de Sevilha e da Universidade de Barcelona), coordena dois pós-doutoramentos com financiamento da Fundação para a Ciência e Tecnologia (um dos quais em coorientação na Universidade Federal de Santa Catarina, Brasil) e nove Bolseiros de Iniciação à Investigação (BII-FCT). Foi professora convidada na Universidade de Santiago de Compostela (2003 e de novo em 2009), Nantes (2004), Vigo (2006) e Complutense de Madrid (2009), tendo feito conferências e orientado cursos em várias universidades europeias. Coordena a linha de investigação “Práticas da Cultura” do Instituto de Estudos de Literatura Tradicional e foi fundadora e membro da Direção do CRIA – Centro em Rede de Investigação em Antropologia, – tendo pertencido à Direção da Associação Portuguesa de Antropologia (1991-93). Foi fundadora do Centro de Estudos de Etnologia Portuguesa e da revista Arquivos da Memória. Em Setembro de 2008 recebeu o prémio galego Xesús Taboada Chivite, com a obra: ‘Ouvir o galo cantar duas vezes’ – Identificações locais, culturas de fronteira e construção das nações entre o norte de Portugal e a Galiza. Publicou vários livros, seja como autora – Memórias da Resistência Rural no Sul (Couço, 1958-1962), Oeiras, Celta, 2001; O leito e as margens – Estratégias familiares de renovação e situações liminares no Alto Trás-os-Montes raiano, Lisboa, Colibri – seja como organizadora, destacando-se uma obra coletiva, O Cambedo da Raia. 1946. Solidariedade galego-portuguesa silenciada, Ourense, Associación Amigos da Republica, 2004. Foi editora e consultora de várias revistas e outras publicações. Presentemente está envolvida em quatro projetos ibéricos, um acerca da fronteira entre Portugal e Espanha, outro sobre a esquerda radical, um terceiro sobre processos de patrimonialização e um quarto acerca da memória das ditaduras ibéricas.

Sérgio Rizzo

Sérgio Rizzo

Jornalista, mestre em Artes/Cinema, com uma dissertação sobre Woody Allen, e doutor em Meios e Processos Audiovisuais, com uma tese sobre a formação de professores para a educação audiovisual, pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo.
É apresentador do canal de TV Arte 1, colaborador dos jornais "O Globo", "Valor Econômico" e "Folha de S. Paulo", e de publicações na área de educação, como o jornal "Mundo" e o portal "Carta Educação”.
Professor na pós-graduação da FAAP e da PUC-SP, na Academia Internacional de Cinema, no Colégio Augusto Laranja, no Museu da Imagem e do Som, na Casa do Saber, no Espaço Itaú de Cinema e em unidades do Sesc-SP.
É membro dos comitês de seleção do É Tudo Verdade - Festival Internacional de Documentários e da Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, integra o projeto Ensaios Ignorantes, que combina ações de teatro e leitura, e desenvolve projetos como produtor executivo para a produtora Parece Cinema.
Autor dos livros "Cinema e Educação - 200 Filmes sobre a Escola e a Vida" (Editora Segmento), "Família e Educação - Quatro Olhares" (Editora Papirus) e "Vitória - Ayrton Senna" (Editora Melhoramentos), além de diversas participações em coletâneas — como "Cinema e Psicanálise" (Ed. nVersos), "Os Filmes que Sonhamos" (Lume), "Futebol, Comunicação e Cultura" (Unesp/Intercom), "Coleção Folha Clássicos do Cinema" (Ed. Moderna/Folha de S. Paulo), "100 Melhores Filmes Brasileiros" (Letramento/Abraccine/Canal Brasil) — e em catálogos de mostras e retrospectivas dedicadas a cineastas como Ingmar Bergman, Woody Allen, Stanley Kubrick , Quentin Tarantino e irmãos Dardenne.