Scroll To Top

Filmes do Homem

Exposições

Festa . João Gigante


Exposição produzida por FILMES DO HOMEM

festa

“FESTA” é um trabalho fotográfico que percorre cronologicamente um ano de festividades tradicionais em Castro Laboreiro. Este projeto desmarca uma leitura sobre a vivência do lugar, o culto do encontro e da partilha, uma “dança” social entre a saudade e a distância.
Em Castro Laboreiro percebemos que o território fronteiriço descreve-se especial, as suas características acumulam a história de anos de viagem e de comunhão entre uma população que se afasta e se aproxima por épocas. Ali moram também pessoas que constroem uma forma de estar que salienta a estrutura social deste mesmo lugar. Castro existe pelas suas gentes, a sua memória futura depende de um conjunto de vivências que definem o castrejo, a festa é um apogeu de inter-relações, um lugar vivo.
O trabalho fotográfico é uma pesquisa visual por este território e pelas pessoas que nele habitam e que festejam a existência do lugar. Além do acontecimento litúrgico existe a continuidade de uma história e de uma memória festiva.
Depois da missa, e da procissão, os “bailadores” encontram-se no “largo” mais próximo e aí entrelaçam as chulas e os viras com a popularidade local da música tocada ao vivo. Até mesmo no natal e páscoa, ou na passagem para o novo ano, a dança é uma razão de existência, de se viver e querer estar naquele território.
Existe uma forma clara de vivência do castrejo, do mandador surge a palavra de ordem para um bailado cadenciado, onde se constrói a cada passo mais um pouco da história do lugar e onde se recorda os movimentos de um passado rememorado.
Um ano de trabalho de campo que se relata num conjunto de imagens, num conjunto de relações e aproximações ao território e às pessoas de Castro Laboreiro.

  • Data: 01 / 31 Agosto 2017
  • Local: Casa da Cultura de Melgaço
joao gigante
João Gigante Natural de Viana do Castelo, é licenciado em Artes Plásticas pela Faculdade de Belas Artes do Porto e realizou o Mestrado em Comunicação Audiovisual (Fotografia) na Escola Superior de Música, Artes e Espectáculo do Instituto Politécnico do Porto. Mantém o seu percurso entre a prática das artes plásticas, tendo exposto o seu trabalho em diversas exposições no panorama artístico nacional e internacional e a prática de produção e organização de eventos e projetos artísticos e a projeção e organização de projetos de nível social e etnográfico, mantendo a sua característica artística e conceptual. O seu trabalho complementa as diferentes áreas de atuação plástica, como a fotografia, o vídeo, a sonoplastia, a instalação e o desenho. Desenvolve também projetos de cariz musical onde se destaca PHOLE e o projeto sonoplástico ARAME (com Miguel Arieira). É também, fundador e diretor da Revista PARASITA (com Hugo Soares).

A Idade De Ouro Do Cartaz De Cinema Polaco


Exposição comissariada por Bernard Despomadères

cartazes

Cartaz de Andrzje Pqgowski, Danton filme de Andrzej Wadja 1982

A arte do cartaz faz parte da história cultural da Polónia.
Após a 2º Guerra Mundial e a instauração do regime socialista, no país, essa arte da rua que é o cartaz, graças a uma inquestionável qualidade estética e diversidade de estilos, deu origem a uma verdadeira « escola » de grande renome que influenciou criadores além-fronteiras, desde o Japão, a França ou Cuba.
Essa « escola », nascida no seio da propaganda e das encomendas do Estado, caracterizou-se, primeiro, por um carácter político e social. Todavia, os criadores não demoraram a desligar-se das limitações impostas, investindo outros domínios, como o cultural, com criações para a ópera, concertos, exposições ou cinema, ocupando este um lugar privilegiado.
A rejeição, pelo regime, dos valores comerciais ocidentais permitiu aos artistas exprimirem-se à margem de exigências puramente publicitárias. Os artistas beneficiaram ainda, paradoxalmente, de uma grande liberdade criadora, reduzindo ao mínimo essencial as indicações textuais do filme, conservando apenas uma imagem metafórica ou suscitando a emoção, apelando à imaginação de cada um.
Hoje um grande número desses cartazes, considerados obras de arte, entrou nos museus. Ao longo da sua vida de cinéfilo apaixonado Jean-Loup Passek reuniu pacientemente várias centenas que constituem um dos tesouros do Museu do Cinema de Melgaço.
É, evidentemente, uma infíma parte dessa coleção que apresentamos nesta exposição, com uma seleção de cartazes originais, assinados por grandes designers polacos e, em formato reduzido, reproduções de cartazes para o teatro, música e outros, de carácter político e social.

Bernard Despomadères
  • Data: 06 Agosto / 15 Julho 2018
  • Local: Museu de Cinema de Melgaço – Jean Loup Passek

Encontro . Diogo Marques Santos


Trabalho realizado na Residência Fotografica PLANO FRONTAL 2016

encontro

A memória e a saudade estão presentes em cada habitante da Vila de Castro Laboreiro. São muitas as histórias que se cruzam e que são relembradas, vão desde o contrabando à transumância, dos tempos de escola aos tempos de emigração. É com esta nostalgia que se vão contando histórias de famílias que foram crescendo e rumando para outras terras.
A partir do Arquivo Fotográfico Privado de cada família a ponte entre o passado e o presente criam uma ligação emocionalmente forte; numa altura em que a vila cada vez mais sofre com o abandono do lugar e a solidão tende a tomar cada vez mais o lugar da outrora energia vivida.
“Encontro” incide sobre a questão da Memória Familiar partindo de arquivos fotográficos privados das famílias de cada uma das pessoas fotografadas, revelando outros tempos é a partir delas que se estabelece uma ligação registada fotograficamente.
Depois de uma seleção das fotografias cedidas de cada família, cada imagem é projetada numa parede e as pessoas ficaram perante a imagem dos seus familiares onde posteriormente serão fotografados em conjunto estabelecendo a ponte entre dois espaços temporais (passado e presente) através de uma fração de tempo que regista a imagem, o ato fotográfico.
No âmbito da residência artística “Plano Frontal” inserida no festival FILMES DO HOMEM 2016 foi realizado este projeto fotográfico com base do tema proposto da Família, na vila de Castro Laboreiro.
“Encontro” tem por objetivo estabelecer uma ligação emocional através da imagem entre o Arquivo Familiar, a Família e o Espectador.

Diogo Marques Santos
  • Data: 01 / 31 Agosto 2017
  • Local: Praça da República, nº. 125
Diogo Marques Santos
Diogo Marques Santos Nasceu na cidade de Lisboa, no ano de 1993. Em 2012 iniciou a sua formação como fotógrafo no IADE frequentando o CET em Fotografia, partindo em 2014 para a Licenciatura em Fotografia e Cultura Visual na mesma instituição, terminando-a no ano de 2016. Em 2015 parte para Macau onde frequentou a Licenciatura de Communication and Media na USJ - University of Saint Joseph. O trabalho de Diogo Marques Santos tem como ponto de partida a exploração do meio fotográfico, a experimentação ao longo de todo o processo. A relação entre o tempo e a luz é uma das constantes temáticas de exploração fotográfica presente nos seus trabalhos, o recuar às matérias primas do acto fotográfico. Atualmente possui obras representadas na coleção da galeria Carpe Diem Arte e Pesquisa Frequenta o Mestrado de Crítica, Curadoria e Teorias da Arte, na Faculdade de Belas Artes em Lisboa.

O Pão Nosso De Cada Dia . Venice Atienza


Trabalho realizado na Residência Fotografica PLANO FRONTAL 2016

pão nosso de cada dia

Todas as semanas, em Melgaço, uma carrinha branca viaja por diferentes aldeias para entregar pão. As aldeias estão separadas por altas montanhas e estradas sinuosas. É através deste ritual de trabalho semanal que nos encontramos por momentos curtos e breves, com diferentes pessoas destas aldeias.

Venice Atienza
  • Data: 01 / 31 Agosto 2017
  • Local: Casa da Cultura de Melgaço
Venice Atienza
Venice Atienza Fotógrafa e cineasta Filipina. Trabalhou em projetos que exploraram os efeitos de desastres naturais em várias comunidades remotas nas Filipinas e a crise da eletricidade em comunidades de indigentes no Metro de Manila. Mudou-se para a Europa em 2015 para fazer parte do programa Doc Nomads, que acontece em Lisboa, Budapeste e Bruxelas.